Facebook Pixel

09/06/2017 publicado por

Qual tipo de depilação escolher?

Qual tipo de depilação escolher?

A maioria das mulheres, e muitos homens, preocupam-se com a remoção dos pelos do corpo e, portanto, com qual tipo de depilação escolher. Existem várias alternativas disponíveis.

As opções para depilação são divididas em superficiais, extração pela raiz e remoção permanente. É preciso investir no método que mais se adequar ao corpo, ao bolso e à rotina. Essa escolha depende, também, das características do pelo de cada pessoa e, ainda, da existência de algum tipo de alergia que possa influenciar.

Qual tipo de depilação escolher entre os métodos existentes

Métodos superficiais

Nesses casos, apenas a parte externa dos pelos é retirada. São menos agressivos, mas exigem manutenção com mais frequência. A irritação da pele é menor e há menos chance de o pelo encravar.

  • Lâmina: corta o pelo externamente. O procedimento precisa ser refeito, geralmente, a cada dois dias. A lâmina deve ser utilizada no sentido de crescimento do pelo. Dessa forma, evita-se o encravamento de fios mais grossos. Caso a pele apresente irritação constantemente, deve-se buscar outra alternativa, pois pode ser que a pessoa seja alérgica ao níquel com que a lâmina é produzida.
  • Cremes depilatórios: também atuam cortando, superficialmente, o pelo. Antes que ele seja aplicado, deve-se fazer um teste com o produto no braço por 20 minutos. Caso ocorra vermelhidão ou coceira excessiva, o uso deve ser suspenso.

O problema desses métodos é que podem causar irritação e descamação superficial da pele. Isso pode ser evitado com o uso de cremes hidratantes antes e depois da depilação. Ainda assim, apesar da precaução, os problemas podem aparecer.

Métodos de extração pela raiz

São mais eficientes em relação à frequência, pois podem ser realizados uma vez por mês.

  • Cera: a cera quente e a cera fria têm o mesmo efeito na pele. Quem possui vasinhos vermelhos nas pernas deve evitar o uso da técnica aquecida, pois o calor pode fazê-los se expandir. Utilizar cera exige esfoliações semanais e hidratação frequente.
  • Folhas depilatórias: antes de utilizá-las em regiões extensas do corpo, é preciso fazer testes em áreas pequenas. Pode ocorrer irritação, caso a pele seja muito sensível.
  • Fio egípcio: é mais indicado para pelos finos, por isso, bastante utilizado no rosto.
  • Aparelhos elétricos: costumam provocar mais dor porque a retirada do fio é feita de maneira mais lenta.

Ao retirar o pelo pela raiz, as chances de encravamento dos pelos e do surgimento de foliculite é maior. Isso pode ser evitado com uma esfoliação por semana, para abrir passagem para o nascimento dos novos fios.

Também é preciso manter a pele sempre hidratada, caso contrário, o pelo terá dificuldade de passar e ficará na parte interna. Pelos mais grossos, como os da virilha, têm maior chance de encravar. Por isso, é recomendado evitar calcinhas e calças muito apertadas.

Métodos de remoção permanente

Esse tipo de técnica danifica a raiz dos pelos e impede seu crescimento.

  • Laser: causa menos irritação que os métodos depilatórios tradicionais. Existem, ainda, modalidades especiais para pessoas de pele escura. O procedimento exige entre cinco e oito sessões, em média, e demanda alguns cuidados.
  • Luz intensa pulsada: as tecnologias mais modernas funcionam tão bem quanto o laser. O número de sessões também varia entre cinco e oito, de acordo com a resposta de cada paciente. A vantagem é que os novos equipamentos disponíveis garantem um tratamento menos doloroso.

O maior risco em relação a estes métodos é a utilização incorreta dos equipamentos por profissionais não capacitados, o que pode resultar em queimaduras e lesões. Buscar um dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) é uma garantia de segurança ao paciente, mesmo que ele ainda não saiba qual tipo de depilação escolher.

Antes de submeter-se a um procedimento, é possível fazer uma consulta no site da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para checar se a máquina a ser utilizada é ou não aprovada.

Por último, é importante lembrar que os pelos são uma proteção para o corpo, mas uma higiene e cuidados bem feitos permitem que eles sejam retirados sem consequências negativas à saúde. Pessoas com uma quantidade de pelos grossos e escuros muito grande devem buscar, primeiro, entender a causa do problema, que pode ser hormonal.

Para ter certeza sobre qual tipo de depilação escolher, o ideal é consultar um dermatologista de confiança para avaliação da pele e recomendações adicionais.