Facebook Pixel

16/08/2018 publicado por

Melasma tem cura?

Melasma tem cura?

Melasma é uma condição de surgimento de manchas escuras na pele. Aparecem principalmente na região do rosto, mas podem acometer também outras partes do corpo. Embora possa ser notada em homens, as mulheres são as mais afetadas pelo melasma.

 

O melasma se dá por manchas escuras ou de cor castanha que aparecem na face, em especial nas maçãs do rosto, acima do lábio superior (buço) e nariz. Quando o quadro se caracterizar por melasma extrafacial, haverá o aparecimento de manchas nos braços, pescoço e colo.

As manchas possuem formatos irregulares, mas bem definidos, delineando formatos simétricos em ambos os lados.

Causas do melasma

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) não há uma causa específica definida, embora algumas evidências possam ser consideradas, como:

 

  • uso de anticoncepcionais femininos;
  • gravidez;
  • exposição solar, principalmente à luz ultravioleta;
  • predisposição genética;

 

Consulte um dermatologista de confiança

Sabemos o quanto é importante cuidar da saúde dermatológica, consultando sempre um dermatologista de confiança. No caso do melasma, se houver identificação dos sintomas, é fundamental recorrer ao especialista o quanto antes para o decisivo diagnóstico e tratamento dessa condição.

Assim, é essencial estar atento ao cuidado de recorrer ao procedimento adequado, caso contrário, a piora das manchas pode agravar o quadro e dificultar a melhoria da pele.

Tratamento

Existem alguns tratamentos para o melasma. De forma geral, são utilizados meios de proteção contra os raios ultravioleta e à luz visível, que devem ser intensificados ao início do tratamento. Assim, medidas para clarear, estabilizar e dificultar que o pigmento volte é o foco dos cuidados da melasma.

Dessa forma, as terapias disponíveis para o problema são, basicamente, o uso de medicamentos tópicos e procedimentos para o clareamento da pele.

Vejamos quais os meios mais indicados:

Proteção contra raios solares

A fotoproteção é o pré requisito básico para a eficiência do tratamento. Dessa forma, o uso de protetor solar potente, com alto filtro de proteção solar (FPS) nas regiões afetadas. A recomendação dermatológica é procurar filtros que tenham proteções contra os raios ultravioleta A (UVA) e ultravioleta B (UVB). É fundamental o cuidado com o uso diário de filtros solares para estabilizar os benefícios conquistados pelo tratamento.

 

Uso tópico de cremes

O uso de cremes é bastante eficiente para ajudar na remoção das manchas, principalmente os que são feitos à base de hidroquinona, ácido retinóico, ácido kójico  e ácido glicólico. É preciso paciência para perceber os resultados, que aparecem em média após dois meses de uso. No entanto, esse é um método que pode não funcionar com todos os pacientes, apenas o dermatologista poderá indicar qual produto ideal para você considerando sua eficácia e seu tipo de pele.

Da mesma forma, o tempo indicado para estabilizar o problema e impedir que o pigmento volte pode ser de vários meses ou até mesmo anos. Por isso, a recomendação para esse tipo de tratamento é que seja acompanhado da fotoproteção constante para que os resultados surtam efeito.

 

Peeling

O peeling é indicado para clarear a pele gradualmente. Assim, o dermatologista irá indicar o método mais adequado para cada caso, já que existem diversos tipos de peelings. Os mais superficiais podem ser mais seguros, mas existem peelings que agem em camadas mais profundas da pele.

 

Laser e Luz Intensa Pulsada

Esse tratamento também ajuda a clarear o melasma. É importante que esse tratamento seja feito com muita cautela para não gerar mais pigmentação à pele. Por isso, esteja atento ao profissional que irá realizar o procedimento, pois este deve estar habituado às fontes de energia luminosa.

 

Microagulhamento

O microagulhamento tem se mostrado um enorme aliado no tratamento do melasma. Trata-se de um aparelho que faz micropunturas na pele, formando canais que facilitam a penetração de ativos.  A técnica de aplicação de medicamentos por meio dos canais formados no microagulhamento chama-se drug delivery. Os furinhos facilitam a chegada do produto às camadas mais profundas da pele e garantem um resultado mais rápido e satisfatório.

 

Tratamentos novos

O uso de fitoterápicos e vitaminas tem sido muito útil no tratamento do melasma. O  Polypodium leucotomos, por exemplo, é um ativo de uma planta muito eficaz em proteger a pele dos raios ultravioleta, além de ser um agente anti-inflamatório, que protege do dano celular e tem propriedades calmantes.

Outra opção é o ácido tranexâmico, substância que que bloqueia a conversão do plasminogênio em plasmina, substância que causa a hiperpigmentação do melasma, inibindo sua formação. O uso do ácido tranexâmico pode ser por via oral, uso tópico em cremes  em injeções intradérmicas ou após microagulhamento.

 

Se você observar o aparecimento ou desenvolvimento de manchas na pele procure imediatamente um dermatologista que poderá te indicar o tratamento individualizado pensando na sua rotina e na sua qualidade de vida.